Habilidades socioemocionais na BNCC – Vamos por partes! – 1a parte.

socioemocionais na BNCC
As Habilidades socioemocionais na BNCC

Para entendermos as habilidades socioemocionais na BNCC precisamos ler e entender  o documento que é longo (469 páginas) e complexo.

Portanto, vamos por partes!!

É de nosso conhecimento que foram estabelecidas 10 competências, compreendidas como a soma do conhecimento + habilidades + atitudes + valores.

Para podermos destrinchar e entender cada uma delas, procurarei neste (primeiro) texto fazer uma divisão e afunilamento. Focarei especificamente em um dos pontos das competências socioemocionais na BNCC, conforme fluxograma apresentado a seguir:

habilidades socioemocionais na BNCC

 

Conforme apresentado no fluxograma acima, destaco a oitava competência (autoconhecimento e autocuidado). Nele aponto também as intenções, apresento suas subdimensões e por fim destaco e pinço o EQUILÍBRIO EMOCIONAL.

A inteligência Emocional e O equilíbrio Emocional

Em primeiro lugar, para tratarmos sobre o Equilíbrio Emocional, há de se lembrar que enquanto item das 10 competências gerais ele não deve ser trabalhado como tema transversal, mas sim como um direito essencial a ser garantido cada aluno.

Especificamente sobre o Equilíbrio Emocional, é necessário entender que este estado será obtido quando for desenvolvida a Inteligência Emocional,  a qual segundo Goleman (1995) são necessárias cinco domínios:

• Autoconhecimento
• Administração das emoções
• Automotivação
• Empatia
• Capacidade de relacionamento

Como a idéia deste texto é dividir em pequenas partes, de modo a facilitar posteriormente o entendimento global das competências da BNCC, focaremos então no AUTOCONHECIMENTO, o qual se refere:

 A capacidade de reconhecer suas próprias emoções ou um sentimento quando ele ocorre. Quando não reconhecemos a emoção sentida ficamos à mercê dela, pois não sabemos o que está acontecendo, o que estamos sentindo e consequentemente não saberemos como lidar com ela.

Isto significa que devemos estar sempre atentos àquilo que pensamos, mas principalmente àquilo que sentimos.

Consequentemente, como resultado, tratamos apenas da ação feita e/ou pensada.  Não pensamos o que ela nos significa em termos de sentimentos, consequentemente não temos como tratar deles.

Sendo este o primeiro e talvez o mais importante domínio a ser conquistado para o desenvolvimento da Inteligência Emocional e com isso conquistar o Equilíbrio Emocional, se faz necessário pensar em estratégias a serem trabalhadas com nossos alunos.

Algumas reflexões

A principal reflexão será:

Como nosso aluno reconhecerá suas próprias emoções se ele nem sabe quais são elas, o que significam e qual seu próprio nome?

Esta reflexão já nos traz pistas de que tipo de trabalho deveremos desenvolver com nossos alunos. No caso,  que primeiramente eles conheçam quais são as emoções possíveis e existentes.

Normalmente uma criança conhece as emoções/sentimentos mais primários que são Alegria, Tristeza e Bravo. Porém, para conquistar o domínio do autoconhecimento ele precisará conhecer bem mais do que apenas estas três.

Será preciso realizar um trabalho de Alfabetização Emocional, o qual vai fornecer um repertório de vocabulários e significados que vá muito alem do “alegre, triste e bravo”.

Obviamente que da Educação Infantil até o Ensino Médio este repertório de vocabulário poderá mudar.Como resultado, basicamente nossos alunos (crianças, pré adolescentes e adolescentes) não sabem dizer ou expressar o que sentem.

Além disso, quando eles estão “emburrados” e perguntamos: O que foi, ou o que está sentindo?

Provavelmente, a resposta normalmente será: NADA!! 

Este “NADA” deverá ser entendido como “não sei dizer o que estou sentindo”. Pelo simples fato dele não conhecer nem mesmo a palavra (e o significado) daquela “coisa” que ele está sentindo.

Portanto, sem pretender deixar neste breve texto uma Formula Mágica, podemos sim deixar a pista de que nosso trabalho com os alunos deverá iniciar com esse processo de Alfabetização Emocional. Assim, sem ter domínio e maestria sobre o vocabulário específico das emoções, nossos alunos não conseguirão se expressar e desenvolver o autoconhecimento. E, sem este não atingirão o EQUILÍBRIO EMOCIONAL, o qual destaquei no fluxograma que é o espelho das 10 competências gerais da BNCC.

Da reflexão para prática –  Habilidades socioemocionais na BNCC

Devido a essa reflexão, finalmente, cada professor, independentemente do seguimento da Educação Básica, deverá pensar nas estratégias que desenvolverá com seus alunos. Assim, a sugestão é que comecem então pelo mais básico e primordial que aqui chamamos de Alfabetização Emocional.

Finalmente, a questão deixada será: Como você auxiliará no desenvolvimento do vocabulário (com os significados) das emoções dos seus alunos?

Sorte e sucesso a todos!!

Prof. Dr. Nilbo Nogueira

Compartilhe agora este post em suas redes sociais e mostre aos seu seguidores o que você já leu.


Alfabetização Emocional: Teoria e prática em sala de aula – Investimento para inscrição neste site: R$ 19,99

Como desenvolver a Inteligência Emocional do seu filho – Investimento para inscrição neste site R$ 19,99

Design de Slides de Apresentação que motivam seu espectador – Investimento para inscrição neste site R$ 19,99

Sistematização da ortografia – Investimento para inscrição neste site R$ 19,99

Professor 3.0 – os desafios de ensinar na era digital – Investimento para inscrição neste site R$ 19,99

Como criar um curso online? – Investimento para inscrição neste site R$ 19,90

Minicurso – Introdução a Montessori – Investimento para inscrição neste site R$ 54,99

Facebook para professores – Investimento para inscrição neste site R$ 19,99

Minicurso: Empreender ensinando online – Curso gratuito.

Desenhe seu círculo dourado e transforme sua vida – Curso gratuito.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *